claudia joskowicz >> palavras-chave >>

Bolívia > história > ficção > cinema > cinema mudo > tempo > tempo estendido > roteiro > encenação

contexto
A obra integra uma trilogia na qual a artista aborda eventos da história de seu país que foram transformados em ficção e incorporados, na versão dramatizada, pelo imaginário coletivo. Sua tese é que a ficcionalização cria mitos e distorções na paisagem histórica da Bolívia.
referências
Butch Cassidy e Sundance Kid são os nomes “de guerra” de dois bandidos americanos que se estabeleceram na América Latina em 1901, fugindo da polícia depois de assaltar bancos e trens em seu país. Primeiro em Buenos Aires, depois na Bolívia, retomaram as atividades. Acabariam mortos em um cerco de soldados bolivianos em 1908, perto de San Vicente. A dupla inspirou livremente um clássico do cinema, Butch Cassidy and the Sundance Kid (1969), dirigido por George Roy Hill e estrelado por Paul Newman e Robert Redford.

O título da obra é uma versão reduzida do nome em inglês do filme In girum imus nocte et consumimur igni: a Film (1978), a última obra do escritor e cineasta francês Guy Debord (1931-1994). Marxista, Debord foi um dos criadores e principais expoentes do situacionismo, movimento de artistas europeus que se apoiava em teorias críticas à sociedade de consumo e à cultura mercantilizada.

pesquisa
A produção de Claudia Joskowicz parte da investigação de elementos básicos da linguagem cinematográfica clássica, como o zoom (close-up ou detalhe) e o travelling (movimento de câmera sem cortes). Suas imagens evocam o cinema comercial, algo que facilita seu reconhecimento visual pelo público; ainda assim, transmitem uma atmosfera de estranhamento.

Por meio de manobras que desconstroem elementos da linguagem cinematográfica, a artista busca enfatizar o aspecto político dos discursos construídos com reconstituições de fatos reais – e que, por fim, pouco se assemelham às situações históricas originais.

processo
Em Round and Round and Consumed by Fire, Claudia Joskowicz retoma um recurso amplamente utilizado no cinema mudo para construir cenas que ilustravam notícias policiais ou de guerra, com atores encenando os fatos. As reconstituições, aqui, se dão em um tempo estendido; a desaceleração da cena aumenta a tensão do espectador, que quer encontrar pistas do que está acontecendo, mas se vê preso a uma sequência lenta e repetitiva.
+++ Para refletir sobre a transformação de fatos históricos em ficções livres, vale a pena assistir ao filme Butch Cassidy aqui, e compará-lo ao documentário Butch Cassidy: morto ou vivo?, da Grizzly Adams Productions, disponível aqui.